DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 17/05/2022

Formação trabalha a Inteligência Espiritual

Paroquianos ouvem sobre o sentido emocional da caridade

 
Terapeuta falou para mais de 200 pessoas ontem Terapeuta falou para mais de 200 pessoas ontem | Crédito: Pascom Paróquia São Miguel

“Uma formação de grande valia, que motivou a todos a perceber em si mesmos as suas potencialidades, descobrir o seu propósito de vida e viver plenamente na busca da vontade de Deus, mas também em se entendendo como ser humano, filho de Deus e participante de uma comunidade de fé”, assim o administrador da Paróquia São Miguel, de Irati, padre Alvaro Martins Nortok, definiu a palestra sobre Inteligência Espiritual, assessorada na noite de ontem (16) por Marinilse Marmentini de Abreu, diretora e professora do Instituto Micael, de Cascavel.


     Mesmo com o frio de 7 graus, mais de 200 pessoas participaram da formação, gente vinda, inclusive, de outras paróquias. A professora de Inteligência Espiritual fez questão de ressaltar que o Instituto Micael é um filho da Igreja Católica. “Trabalhei muito tempo na Escola de Teologia de Cascavel, a antiga Famipar (Faculdade Missioneira do Paraná), e lá surgiu essa intenção: de trabalhar com formações, até porque já fazia isso. Com o fechamento (da escola), perguntei aos bispos como poderia continuar, sem ser antiético com eles. Ai, surge o Instituto Micael, que tem como principal missão despertar o protagonismo da vida das pessoas, integrando o plano físico, espiritual e emocional, trazendo o indivíduo para uma esfera onde ele se olhe e se torne um agente modificador seja na vida dele, seja na sociedade ou nas pastorais onde atua”, explicou Marinilse.


   “A formação faz entender que quando eu olho para mim e tenho um autocuidado também estou praticando a caridade. Aí, consigo olhar para a doação de cestas básicas, por exemplo, como apenas uma das coisas que o mundo precisa. Ele também precisa de pessoas que se coloquem nessa caridade da escuta, do auxílio fraterno. O indivíduo passa a ser olhado como um todo. Quando consigo olhar para a pessoa com amor, empatia, fraternidade, as coisas vão se modificando. Quem hoje recebe, amanhã pode também doar”, detalhou a assessora.


     Para a paroquiana Bianca Massani Fernandes a iniciativa teria que ter continuidade. “Ajudaria bastante. Eu como já tive problema com depressão, fiz muitos anos tratamento, sei que o tema abordado é de suma importância, todos pudemos aproveitar. Teria que repetir, inclusive”, orientou, elogiando a palestrante: “foi dinâmica”.  Isabel Pietroviski Basso garantia que a formação foi muito além do que veio imaginando que seria. “Eu fiz uma reflexão para analisar certas atitudes minhas que eu não consigo controlar. Achei muito bom, maravilhoso. Foram explicações de atitudes nossas. Fez a gente entrar dentro da gente. Deu um enfoque maior na espiritualidade e depressão, espiritualidade e ansiedade, espiritualidade e estresse; a gente não faz essa relação. E ela conseguiu mostrar que tem e, partindo da espiritualidade, nós conseguimos chegar onde a gente quer, que é sair dessa situação”, analisou.


     De acordo com padre Alvaro, diante dos quatro pilares pastorais- Palavra, Pão, Caridade e Missão – a Caridade foi escolhido em votação, na primeira reunião deste ano do Conselho Pastoral da Comunidade, em março, para que fosse trabalhado. “Observando também o processo dessa ajuda da caridade com as pessoas das capelas, percebemos que vai muito além do que ajudar com alimentos, roupas, donativos, mas tratar a pessoa em sua integridade, na sua inteligência emocional, espiritualidade. Por isso foi contratado esse instituto católico, que trabalha o sentido emocional da espiritualidade, leva a pessoa a ter contato consigo mesma, amar-se, buscar se entender, se compreender nas suas emoções e, com isso, amar a Deus e aos irmãos. Mais do que o pilar da Caridade nós estamos vivendo o que Jesus nos ensinou no Evangelho do último final de semana: amai-vos uns aos outros, mas claro que, para amar o irmão, eu preciso me conhecer, me amar, me aceitar, também viver a integridade da vocação humana que Deus nos deu. Foi o que vivenciamos nesta noite”, ressaltou o administrador paroquial. Segundo padre Alvaro, as formações devem ter continuidade no segundo semestre deste ano.


     Outras paróquias que se interessarem pela temática podem procurar o Instituto Micael, que em sede em Cascavel, pelo telefone (45) 9 9934 7500. O instituto molda formação especifica para a comunidade, seja no campo espiritual, emocional, de lideranças, harmonia familiar, questões teológicas e de Catecismo.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Enviado 1º conselho missionário da Diocese   |   Dia de São Francisco terá bênção de animais   |   Paróquias refletem sobre a Igreja em Missão   |   Assembleia fortalece a evangelização   |  





Publicado em: 17/05/2022

Formação trabalha a Inteligência Espiritual

Paroquianos ouvem sobre o sentido emocional da caridade

 

“Uma formação de grande valia, que motivou a todos a perceber em si mesmos as suas potencialidades, descobrir o seu propósito de vida e viver plenamente na busca da vontade de Deus, mas também em se entendendo como ser humano, filho de Deus e participante de uma comunidade de fé”, assim o administrador da Paróquia São Miguel, de Irati, padre Alvaro Martins Nortok, definiu a palestra sobre Inteligência Espiritual, assessorada na noite de ontem (16) por Marinilse Marmentini de Abreu, diretora e professora do Instituto Micael, de Cascavel.


     Mesmo com o frio de 7 graus, mais de 200 pessoas participaram da formação, gente vinda, inclusive, de outras paróquias. A professora de Inteligência Espiritual fez questão de ressaltar que o Instituto Micael é um filho da Igreja Católica. “Trabalhei muito tempo na Escola de Teologia de Cascavel, a antiga Famipar (Faculdade Missioneira do Paraná), e lá surgiu essa intenção: de trabalhar com formações, até porque já fazia isso. Com o fechamento (da escola), perguntei aos bispos como poderia continuar, sem ser antiético com eles. Ai, surge o Instituto Micael, que tem como principal missão despertar o protagonismo da vida das pessoas, integrando o plano físico, espiritual e emocional, trazendo o indivíduo para uma esfera onde ele se olhe e se torne um agente modificador seja na vida dele, seja na sociedade ou nas pastorais onde atua”, explicou Marinilse.


   “A formação faz entender que quando eu olho para mim e tenho um autocuidado também estou praticando a caridade. Aí, consigo olhar para a doação de cestas básicas, por exemplo, como apenas uma das coisas que o mundo precisa. Ele também precisa de pessoas que se coloquem nessa caridade da escuta, do auxílio fraterno. O indivíduo passa a ser olhado como um todo. Quando consigo olhar para a pessoa com amor, empatia, fraternidade, as coisas vão se modificando. Quem hoje recebe, amanhã pode também doar”, detalhou a assessora.


     Para a paroquiana Bianca Massani Fernandes a iniciativa teria que ter continuidade. “Ajudaria bastante. Eu como já tive problema com depressão, fiz muitos anos tratamento, sei que o tema abordado é de suma importância, todos pudemos aproveitar. Teria que repetir, inclusive”, orientou, elogiando a palestrante: “foi dinâmica”.  Isabel Pietroviski Basso garantia que a formação foi muito além do que veio imaginando que seria. “Eu fiz uma reflexão para analisar certas atitudes minhas que eu não consigo controlar. Achei muito bom, maravilhoso. Foram explicações de atitudes nossas. Fez a gente entrar dentro da gente. Deu um enfoque maior na espiritualidade e depressão, espiritualidade e ansiedade, espiritualidade e estresse; a gente não faz essa relação. E ela conseguiu mostrar que tem e, partindo da espiritualidade, nós conseguimos chegar onde a gente quer, que é sair dessa situação”, analisou.


     De acordo com padre Alvaro, diante dos quatro pilares pastorais- Palavra, Pão, Caridade e Missão – a Caridade foi escolhido em votação, na primeira reunião deste ano do Conselho Pastoral da Comunidade, em março, para que fosse trabalhado. “Observando também o processo dessa ajuda da caridade com as pessoas das capelas, percebemos que vai muito além do que ajudar com alimentos, roupas, donativos, mas tratar a pessoa em sua integridade, na sua inteligência emocional, espiritualidade. Por isso foi contratado esse instituto católico, que trabalha o sentido emocional da espiritualidade, leva a pessoa a ter contato consigo mesma, amar-se, buscar se entender, se compreender nas suas emoções e, com isso, amar a Deus e aos irmãos. Mais do que o pilar da Caridade nós estamos vivendo o que Jesus nos ensinou no Evangelho do último final de semana: amai-vos uns aos outros, mas claro que, para amar o irmão, eu preciso me conhecer, me amar, me aceitar, também viver a integridade da vocação humana que Deus nos deu. Foi o que vivenciamos nesta noite”, ressaltou o administrador paroquial. Segundo padre Alvaro, as formações devem ter continuidade no segundo semestre deste ano.


     Outras paróquias que se interessarem pela temática podem procurar o Instituto Micael, que em sede em Cascavel, pelo telefone (45) 9 9934 7500. O instituto molda formação especifica para a comunidade, seja no campo espiritual, emocional, de lideranças, harmonia familiar, questões teológicas e de Catecismo.


 


Diocede Ponta Grossa
Terapeuta falou para mais de 200 pessoas ontem   |   Pascom Paróquia São Miguel

Diocede Ponta Grossa
Marinilse: integrar o plano físico, espiritual e emocional   |   Pascom Paróquia São Miguel

Diocede Ponta Grossa
A assessora e padre Alvaro na formação que abordou a Caridade   |   Pascom Paróquia São Miguel

Diocede Ponta Grossa
Muita gente veio de outras paróquias de Irati   |   Pascom Paróquia São Miguel


Navegue até a sua Paróquia