DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 19/07/2022

Em Castro, procissão fluvial levará santa

Senhora Sant’Ana é padroeira da cidade

 
A festa em honra a Sant’Ana acontece já há 99 anos em Castro A festa em honra a Sant’Ana acontece já há 99 anos em Castro | Crédito: Júlio Beck

 Em Castro, que também tem como padroeira a Senhora Sant’Ana, as comemorações igualmente voltam com a presença dos fiéis, depois de dois anos, e preparam já a centésima edição da festa de Sant’Ana, em 2023, e os 250 anos da paróquia, a mais antiga da Diocese de Ponta Grossa. A programação religiosa foi aberta com o primeiro dia da novena, domingo (17), na matriz, celebrada pelo pároco, padre Sandro Brandt, e diácono Ricardo Aparecido. A cada dia, a celebração reflete sobre um tema diferente. 


     Na abertura do novenário, o tema ‘Quem é a Igreja? Quem somos na Igreja’ foi detalhado pelo diácono convidado, Luiz Afonso Freytag, que afirmou que a Igreja é um conjunto de fieis. \"Nós somos membros vivos da igreja. Não acreditamos em imagens, mas sim em um Deus vivo. Todos nós temos função na Igreja. É preciso, então, mais que participar, dar vida a essa nossa Igreja. É preciso buscar, investir, incorporar na Igreja\", orientou. ‘Os leigos e as famílias na Igreja’ foram destacados na reflexão do padre José Nilson Santos, convidado para presidir a celebração no segundo dia, nesta segunda-feira. “Pelo batismo passamos a fazer parte da família de Deus. \"Ali, todos são importantes, embora classifiquemos cristãos de primeira e segunda classe. Todos temos a mesma dignidade”, ressaltou padre Nilson.


     O sacerdote lembrou que alguns cristãos recebem ministérios para pastorear. “Mas, de onde nascem os leigos? Vêm da família”, ele mesmo respondeu. “Vem da Igreja doméstica. Foi lá que nasceu o padre José Nilson. Na família, se aprende as primeiras orações, vem a Catequese - na família, muitas vezes, estão os primeiros catequistas - Crisma, grupo de jovens, pastorais e assim passamos a assumir posições na sociedade. O que seria da Igreja sem os leigos? ”, indagou. 


     “A família carrega a fé. Fortalecida no Evangelho e na Palavra, se torna evangelizadora. Portanto, amemos e cuidemos da nossa família\", finalizou, contando ainda um pouco sobre sua experiência vivida na Amazônia, onde esteve em missão por seis anos, lamentando a falta de leigos/lideranças.


     Hoje (19), o terceiro dia da novena terá como convidado o padre Alvaro Nortok. O tema será ‘O protagonismo cristão no mundo de hoje’. Padres Roberval Mühlstedt, Martinho Hartmann, Alexandre Spena e Thiago Inchenchaki celebram as novenas seguintes, com reflexões a respeito do ‘caminho cristão e a reconstrução de laços comunitários’, ‘ser Igreja, comunidade de fé’, ‘caminhar juntos e o testemunho de fé’, ‘a fé como caminho de encontro, e reconciliação com Deus’, somos povo escolhido, amado e querido por Deus!’ e, ‘a paróquia como lugar privilegiado da comunhão com Deus’.


     No sábado (23), haverá bênção dos veículos das 9 às 16 horas, com venda de pastel e quentão. No dia 25, show de prêmios, às 20 horas, também com a comercialização de pastel, quentão e bolo no pote e, na terça-feira, 26 de julho, dia da padroeira, a partir das 8h30, volta a acontecer a tradicional procissão pelo Rio Iapó, com a imagem de Senhora Sant’Ana. Às 9h15, a imagem deve chegar a Prainha e será levada pelas ruas até a igreja matriz, e, às 10 horas, será celebrada missa solene. 


 


  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Enviado 1º conselho missionário da Diocese   |   Dia de São Francisco terá bênção de animais   |   Paróquias refletem sobre a Igreja em Missão   |   Assembleia fortalece a evangelização   |  





Publicado em: 19/07/2022

Em Castro, procissão fluvial levará santa

Senhora Sant’Ana é padroeira da cidade

 

 Em Castro, que também tem como padroeira a Senhora Sant’Ana, as comemorações igualmente voltam com a presença dos fiéis, depois de dois anos, e preparam já a centésima edição da festa de Sant’Ana, em 2023, e os 250 anos da paróquia, a mais antiga da Diocese de Ponta Grossa. A programação religiosa foi aberta com o primeiro dia da novena, domingo (17), na matriz, celebrada pelo pároco, padre Sandro Brandt, e diácono Ricardo Aparecido. A cada dia, a celebração reflete sobre um tema diferente. 


     Na abertura do novenário, o tema ‘Quem é a Igreja? Quem somos na Igreja’ foi detalhado pelo diácono convidado, Luiz Afonso Freytag, que afirmou que a Igreja é um conjunto de fieis. \"Nós somos membros vivos da igreja. Não acreditamos em imagens, mas sim em um Deus vivo. Todos nós temos função na Igreja. É preciso, então, mais que participar, dar vida a essa nossa Igreja. É preciso buscar, investir, incorporar na Igreja\", orientou. ‘Os leigos e as famílias na Igreja’ foram destacados na reflexão do padre José Nilson Santos, convidado para presidir a celebração no segundo dia, nesta segunda-feira. “Pelo batismo passamos a fazer parte da família de Deus. \"Ali, todos são importantes, embora classifiquemos cristãos de primeira e segunda classe. Todos temos a mesma dignidade”, ressaltou padre Nilson.


     O sacerdote lembrou que alguns cristãos recebem ministérios para pastorear. “Mas, de onde nascem os leigos? Vêm da família”, ele mesmo respondeu. “Vem da Igreja doméstica. Foi lá que nasceu o padre José Nilson. Na família, se aprende as primeiras orações, vem a Catequese - na família, muitas vezes, estão os primeiros catequistas - Crisma, grupo de jovens, pastorais e assim passamos a assumir posições na sociedade. O que seria da Igreja sem os leigos? ”, indagou. 


     “A família carrega a fé. Fortalecida no Evangelho e na Palavra, se torna evangelizadora. Portanto, amemos e cuidemos da nossa família\", finalizou, contando ainda um pouco sobre sua experiência vivida na Amazônia, onde esteve em missão por seis anos, lamentando a falta de leigos/lideranças.


     Hoje (19), o terceiro dia da novena terá como convidado o padre Alvaro Nortok. O tema será ‘O protagonismo cristão no mundo de hoje’. Padres Roberval Mühlstedt, Martinho Hartmann, Alexandre Spena e Thiago Inchenchaki celebram as novenas seguintes, com reflexões a respeito do ‘caminho cristão e a reconstrução de laços comunitários’, ‘ser Igreja, comunidade de fé’, ‘caminhar juntos e o testemunho de fé’, ‘a fé como caminho de encontro, e reconciliação com Deus’, somos povo escolhido, amado e querido por Deus!’ e, ‘a paróquia como lugar privilegiado da comunhão com Deus’.


     No sábado (23), haverá bênção dos veículos das 9 às 16 horas, com venda de pastel e quentão. No dia 25, show de prêmios, às 20 horas, também com a comercialização de pastel, quentão e bolo no pote e, na terça-feira, 26 de julho, dia da padroeira, a partir das 8h30, volta a acontecer a tradicional procissão pelo Rio Iapó, com a imagem de Senhora Sant’Ana. Às 9h15, a imagem deve chegar a Prainha e será levada pelas ruas até a igreja matriz, e, às 10 horas, será celebrada missa solene. 


 


Diocede Ponta Grossa
A festa em honra a Sant’Ana acontece já há 99 anos em Castro   |   Júlio Beck


Navegue até a sua Paróquia