Casa Vianney
Casa Vianney

A Casa Vianney

CASA VIANNEY

A Casa Vianney dos Padres da Diocese de Ponta Grossa surgiu após o consenso do clero diocesano no sentido do cuidado da vida e do ministério dos presbíteros. Surgiu como apelo da vivência da fraternidade presbiteral. Esta caminhada já vem desde 19 de junho de 2009 quando foi inaugurada a Casa Vianney, por ocasião do Ano Sacerdotal proclamado pela Igreja por ocasião do 150º aniversário do ‘dies natalis’ de São João Maria Vianney, patrono dos párocos do mundo.  

Embora o Decreto de Criação da Casa Vianney tenha sido efetivado pelo bispo diocesano Dom Sergio Arthur Braschi através do Decreto número 106, em 20 de fevereiro de 2015, a referida Casa como estrutura física já existia antes sob os cuidados da Cruzada São Sebastião ligada à Mitra Diocesana, com encontros e convivência dos padres diocesanos. A Casa Vianney tornou-se residência em 24 de outubro de 2014, quando acolheu o padre Agostinho Antônio Rutkoski, padre diocesano enfermo e necessitando de cuidados devido a dois Acidentes Vasculares Cerebrais e outras comorbidades, vindo da Paróquia Nossa Senhora do Pilar, de Ponta Grossa. Neste período, até aproximadamente dezembro de 2015, o primeiro reitor nomeado pelo bispo foi o padre Marcelo Mello, que se colocou à disposição de Dom Sergio Arthur e do clero diocesano para servir nesta missão, procurando organizar e melhorar a Casa Vianney junto com a equipe de colaboradores contratados.

O decreto de criação apresenta a referida Casa como pessoa jurídica da Igreja Católica, sob responsabilidade da Mitra da Diocese de Ponta Grossa. Registrada no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas sob a inscrição 22.063.375/0001-33 com o código 322-0 – Organização Religiosa sem fins lucrativos. No decreto, nas ‘Disposições Gerais’, no artigo terceiro, reza que a organização religiosa terá as seguintes finalidades: casa de acolhimento e convivência, estudo, lazer, férias, retiro, reabilitação e recuperação dos padres diocesanos. 

A Casa Vianney encontra-se localizada em parte do imóvel de propriedade total da ‘Cruzada de São Sebastião’, uma Organização não Governamental, que concedeu em comodato, por tempo indeterminado, a utilização da parte conhecida como gleba 1N/C do imóvel para as atividades da Casa Vianney, para tal foi assinado um instrumento particular de comodato entre ambas as partes, haja visto, que a Cruzada São Sebastião, têm dentre suas finalidades o cuidado e acolhida aos idosos e doentes. A Casa Vianney fica localizada entre a Avenida Visconde de Baraúna, 1010B – fundos e entrada pela Rua Francisco Martins de Araújo S/Nº, Bairro Jardim Carvalho em Ponta Grossa. 

A partir da páscoa de 2016, foi nomeado como segundo reitor da Casa Vianney o padre Evaldo Fidelis, que veio da Paróquia São Cristóvão, também enfermo e com uma perna amputada devido a comorbidades. Mesmo cercado de limitações procurou fazer o melhor. A Casa foi se estruturando com funcionários para garantir o atendimento diário das necessidades para o bom andamento das atividades e cuidados dos residentes. Padre Evaldo foi trabalhar em Piraí do Sul, na Paróquia Menino Deus, e, posteriormente, foi acolhido na Casa Vianney, no dia 7 de agosto de 2018 para cuidar de sua saúde. 

A partir de fevereiro de 2017, a pedido do bispo Dom Sergio Arthur, assumiu como terceiro reitor da Casa Vianney o padre Ademir da Guia Santos, com o decreto de nomeação 011/2017. Recebeu-se autorização para a abertura de uma capela com o Santíssimo Sacramento, foram feitas várias reformas na estrutura física e adquiridos equipamentos para o bom funcionamento interno, no cuidado dos padres idosos e doentes. Foram regularizadas situações administrativas pendentes. Com o apoio do ecônomo da Mitra Diocesana foi construído, entre 2018 até 2021, o espaço social para as reuniões e encontros dos padres diocesanos, também abrigo para o avião construído pelo padre Albino Dzazio.  

Foi aprovado pelo clero diocesano o Regimento Interno da Casa Vianney dos Padres da Diocese de Ponta Grossa. Ele foi preparado pela Pastoral Presbiteral, cujo coordenador era padre Márcio Milek Marques, e aprovado em 25 de maio de 2017. No Regimento Interno, no capítulo III – Fontes de recursos, Direitos e Deveres -  apresenta as fontes de recursos para a manutenção e atividades da Casa Vianney, ficando assim estabelecido e aprovado por todos: 1 - Mitra Diocesana: contribuição mensal de seis salários mínimos nacional e quitação dos excedentes de despesas da Casa Vianney, caso as outras fontes de recursos não sejam suficientes. 2 – Fundo Solidário Sacerdotal: todo presbítero secular da Diocese de Ponta Grossa é membro do presbitério desta Igreja Particular e, assim, comprometido com o gesto concreto de fraternidade sacerdotal (Código de Direito Canônico cân. 275 par. 1). A partir da ordenação presbiteral, os padres diocesanos colaboram na manutenção da Casa Vianney com 20% de um salário mínimo nacional vigente. 3 - Subvenções, proventos, rendas e demais bens do presbítero, que necessite usufruir dos cuidados e resida na Casa Vianney, conforme o artigo 12º do item II deste regimento, que aborda a situação do presbítero enfermo que precise de cuidados e residência, como medicação, alimentação, transporte e cuidados especiais devido a comorbidades. Apresenta ainda a possibilidade de contribuições espontâneas firmadas com paróquias, organismos, associações, pessoas físicas e jurídicas. Atualmente, 50% aproximadamente do custeio da Casa Vianney vem do gesto fraterno do clero secular diocesano, que contribui todo mês com 20% de um salário mínimo. 

A Casa Vianney tem uma reitoria que é composta por reitor, tesoureiro e secretário. Vários foram e são colaboradores: padre Marcelo Mello, padre Evaldo Fidelis, padre Ademir da Guia Santos, desde os primórdios até hoje. Além de também padre Mathias Ham, padre Mário Dwulatka, padre Martinho Bechers, padre Athanagildo Vaz Neto, padre Joel Nalepa, padre Wilson Morais, padre Fábio Sejanoski, padre Martinho Hartmann, padre Osvaldo Pinheiro, padre Marcio Milek Marques (falecido em 2021), padre Evandro Luis Braun. Sempre com o apoio do bispo Dom Sergio Arthur.

A Casa recebe encontros dos padres diocesanos, dos padres jovens, dos seminaristas diocesanos, para dia de retiro. Também recebe amigos e familiares dos padres residentes. Recebida a visita de Dom Lessa, arcebispo emérito de Aracaju (SE), casais do Encontro Matrimonial Mundial, em 4 de setembro de 2017, Monsenhor Francisco Biazini, Umbertus, padre Silvio Mocelin, padre Mário Spaki, padre Mário Dwulatka, padre Thiago Ingenchki, e diácono permanente Metódio Retexim. Amigos ligados ao Movimento dos Focolares, em visita ao padre Agostinho; o cardeal Dom João Braz de Aviz visitou os padres doentes e a Casa Vianney, ressaltando a importância do cuidado dos presbíteros enfermos e idosos. “Com a sociedade envelhecendo e com as comorbidades, nossos padres não estão isentos desta realidade e precisam de uma entidade ou situação de cuidados. Diante desta realidade, ainda bem que nossa Diocese através da Mitra Diocesana tem o plano de saúde para o clero secular diocesano, bem como nossos padres idosos têm sua aposentadoria previdenciária pelo recolhimento mensal feito durante anos pelo carnê de GPS”, argumenta padre Ademir da Guia.  

Destaque, neste período, o jubileu de ouro sacerdotal do padre Agostinho, celebrado no dia 7/12/2018, na igreja São José, às 19 horas, em Ponta Grossa, e o jubileu de prata do padre Ademir, celebrado com os outros padres jubilando na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Ponta Grossa, em 2019. Foi recebido o padre Alceu Maders com a saúde debilitada em 10 de dezembro de 2021. Ele veio a falecer no dia 11 de dezembro de 2021. 

Atualmente, na Casa Vianney, residem o padre Agostinho, padre Evaldo e padre Ademir. São dois colaboradores: Vilmara do Rocio Injeczaka e João Félix Taborda Lopes Junior (cuidador de idosos). A reitoria é composta do padre Ademir, padre Evandro (tesoureiro), padre Martinho Hartmann (secretário), ambos da Pastoral Presbiteral, e também padre Mário Dwulatka, pelo setor de Economia da Diocese, que ajuda e acompanha na gestão econômica- financeira.     

“Termino essa escrita reafirmando a espiritualidade do bom samaritano ou ainda, como diz o Papa Francisco, a mística do cuidado do planeta e do cuidado do próximo fragilizado. Hoje também somos convidados a ver a realidade de tantos pastores feridos e mitigar ou ao menos manifestar nossa solidariedade, fraternidade, oração e proximidade. Nossa profunda gratidão a todos que rezam por nós e nos ajudam a viver a missão confiada pelo Espírito”, destaca o atual reitor, padre Ademir da Guia Santos.

Casa Vianney, janeiro de 2023

 



 

Copyright © Diocese de Ponta Grossa 2024. Direitos reservados.
Navegando você está de acordo com a nossa política de privacidade.

Desenvolvido com amor Agência Arcanjo