MATRIZ
PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA LUZ
Pároco:

Padre Jorge Casimirski


Horários de Missa
  • Segunda-feira 12h
  • Quarta-feira 15 h e 19h
  • Sábado 15h e 18h
  • Domingo 8h, às 10h e às 18h

Endereço
Rua Cel. Pires 994
Irati - Centro


Contato
(42) 3422-2669 / (42) 9 8417-2466
matriznsluzirati@gmail.com
Site
Facebook

Histórico

No dia 08 de setembro de 2004 a Igreja N. Sra. da Luz, Município de Irati - Paraná, completou 100 anos desde a bênção da primeira capela (08/09/1904), feita pelo padre JOÃO BATISTA SCARPETTI . No dia 11 de março deste ano celebrará os seus 75 anos na condição de Paróquia.


    De 08/09/1904 a 11/03/1931 a capela esteve subordinada à Paróquia de Imbituva. Neste período serviram à mesma os padres daquela Paróquia. Em 1925 chega a Iraty o Pe. Sebastião Mendes, vicentino da Congregação da Missão, responsável pela edificação da Escola Apostólica de São Vicente de Paulo, Congregação da Missão da Província do Rio de Janeiro. A capela então passa a ser cuidada pelos vicentinos.

    A 25 de julho de 1926 procedeu-se o lançamento da pedra fundamental da futura Matriz e a 11 de março de 1931 foi elevada à condição de Paróquia, decreto nº 01 de Dom ANTONIO MAZZAROTTO, primeiro Bispo da recém criada Diocese de Ponta Grossa. 

    Foi o Pe. PAULO WARKOCZ, lazarista polonês, designado pelo bispo como primeiro vigário a 15 de março de 1931. As obras da futura Matriz começaram em julho daquele ano.

    No dia 08/01/1943 tomou posse Pe. TADEU DZIEDZIC, também polonês lazarista, que permaneceu até o ano de 1948, quando a direção da paróquia é confiada aos Freis Capuchinhos. Tomam posse dia 15/02 deste ano, com a designação do Frei NEREU M. DO VALE como vigário. Nesta data é criada a Paróquia de São Miguel.

    Frei NEREU, além de prosseguir os trabalhos de edificação da Matriz, foi o responsável pela criação da Festa de São Cristóvão, hoje a maior festa religiosa do município com mais de 50 edições, (em 2006 a 58ª) tornando-se uma das mais tradicionais do Brasil e a mais antiga que se tem notícia.

    Na década de 50, com os trabalhos da nave principal prontos, a Comissão liderada pelo Frei JOAQUIM MARIA DE CURITIBA trabalha em prol da edificação das torres, da aquisição do carrilhão de sinos, do majestoso altar de mármore, dos novos pavilhões de festas, da nova Casa Paroquial e do Centro Comunitário Frei Leopoldo Mandic.

    Além do valor arquitetônico da Matriz, a imagem primitiva de Nossa Senhora da Luz é uma obra-prima à parte. De porcelana, com altura aproximada de 30 cm, com procedência luso/ espanhola é de inestimável valor, imagem esta recuperada em 1969, visto que por aproximadamente 50 anos esteve ausente da Matriz, doada que foi pelos idos de 1918.

    Muitos outros Freis estiveram à frente da Paróquia, cada um se esmerando a seu modo para fazer acontecer o reino de Cristo, destacando-se nomes como: Frei IRINEU, Frei JAIME L. STOLF, Frei JORGE TESSARO, Frei CLEMENTE VENDRAMIN (construção da nova Casa Paroquial ), Frei JAIME MANFRIN (que construiu o Centro Comunitário Frei Leopoldo Mandic e mais 3 capelas ) e Frei ANSELMO SCHUARÇA.


    Em 1992 os Franciscanos deram por encerrada sua missão nesta comunidade e a Paróquia foi novamente assumida pelos Vicentinos da Congregação da Missão.

    Assumiram a Paróquia os Padres.: LUIZ BASSIL, WILSON BELLONI e FRANCISCO NOGUEIRA MOTA, todos da Congregação da Missão; que fizeram um trabalho louvável por 9 anos.

    No mês de Janeiro de 2001, depois de 70 anos, assumem os padres diocesanos.

    Foram designados os Padres: MANSSUETO PONTAROLLO e GLAUCO DE CAMARGO PINTO para a tarefa de continuar a missão e prosseguir com a história de fé e de esperança.

    2007 -  Pe. ANTONIO IVAN DE CAMPOS é o pároco e Pe. ELCIO GUTERVIL o vigário paroquial.

    2008 - Pe. Elcio Gutervil assume como pároco e Pe. Leonel Stanski - Vigário Paroquial.

    Setenta e cinco anos de partilha e comunhão.


    "A celebração dos 75 anos de vida paroquial enche de orgulho e alegria a comunidade de Nossa Senhora da Luz de Irati. E, esta alegria queremos compartilhar com toda a diocese nos seus 80 anos de vida. Muitas graças o Senhor tem derramado sobre nós, e várias gerações foram formadas e guiadas à luz de nossa igreja sempre viva e presente. O valor de uma paróquia, ou da diocese, em uma cidade pode ser equiparada ao papel de uma mãe na vida de seus filhos. Pelo Batismo ela os gera para a vida eterna, os nutre com seus sacramentos, os acompanha e orienta em todos os segmentos da vida, desde a infância com uma sólida catequese, partilhando as inquietações da adolescência e juventude, buscando levá-los à maturidade da fé.


    Nós, os padres e diáconos da Paróquia N. Sra. da luz estendemos nossas mãos e invocamos as mais copiosas bênçãos sobre todos do “rebanho de Deus que nos foi confiado” (1Pd 5,2), e com os quais nos alegramos neste ano jubilar". Pe. Ivan de Campos – Pároco (2007)

 

Comunidade / Padroeiro (a) Localidade 

01 Nossa Senhora da Luz - Irati

02 Nossa Sra. Aparecida/ São João Batista - Apiaba

03 Nossa Senhora do Rocio - Barro Branco

04 Bom Jesus - Bom Jesus

05 Nossa Senhora das Graças - Canisianas

06 Nossa Senhora Aparecida - Cochinhos

07 Nossa Senhora Aparecida - Florestal

08 Divino Espírito Santo - São Miguel

09 Imaculada Conceição - Florestal

10 Nossa Senhora das Dores - Nhapindazal

11 Santo Antônio - Papuã

12 São Francisco de Assis - São Francisco

13 São Lourenço - São Lourenço

14 São Miguel - Pinho

15 Sagrado coração de Jesus - Choma

16 São Sebastião - Pinho De Baixo

17 - Village Solares

18 - Fragatas


PASTORAIS E MOVIMENTOS

CONSELHO PASTORAL DA MATRIZ

Coordenador (a) Conselho Pastoral 

Coordenador (a) Ass. Econômicos

PASTORAIS E MOVIMENTOS

MECs (Ministros)

Pastoral Familiar

Pastoral Dízimo

Pastoral Catequese

Pastoral da Criança

Pastoral Litúrgica

Pastoral das Capelinha

Pastoral da Comunicação

Pastoral Batismo

Pastoral de Coroinhas

Pastoral de Cantos

Pastoral dos Enfermos

Movimento de Cursilho

Movimento Ap. Oração

Movimento Serra Clube

Movimento da Legião de Maria

Clube de Mães

Grupo de Oração

GFASC

Pequenos Grupos

 


Párocos

1º. Pároco:  Pe. Paulo Warkocz - CM  - 1931 até 1943

2º. Pároco:  Pe. Tadeu Dziedzic - CM  - 1943 até 1948

3º. Pároco:  Frei Nereu M. Do Valle - OFMCap.  - 1948 até 1952

4º. Pároco:  Frei Joaquim M. De Curitiba - OFMCap.  - 1952 até 1955

5º. Pároco:  Frei Irineu de Pádua, OFMCap.  - 1955 até 1964

6º. Pároco:  Frei Germano de Lion, OFMCap.  - 1965 até 1966

7º. Pároco:  Frei Clemente Vendramin (Santa Felicidade) OFMCap.  - 1967 até 1973

8º. Pároco:  Frei Jorge Tessaro, OFMCap.  - 1973 até 1976

9º. Pároco:  Frei Pedro Sardo, OFMCap.  - 1976 até 1976

10º. Pároco:  Frei Cleto Adolfo Barbieri, OFMCap.  - 1976 até 1977

11º. Pároco:  Frei Jorge Mariano Leite, OFMCap.  - 1978 até 1979

12º. Pároco:  Frei Ambrósio Canato, OFMCap.  - 1980 até 1981

13º. Pároco:  Frei Jaime Manfrin, OFMCap.  - 1980 até 1984

14º. Pároco:  Frei Anselmo J. Schuarça, OFMCap.  - 1985 até 1992

15º. Pároco:  Pe. Luiz Bassil, CM  - 1992 até 2001

16º. Pároco:  Pe. Manssueto Pontarolo - Diocesano  - 2001 até 2004

17º. Pároco:  Pe. Antonio Ivan de Campos - Diocesano  - 2004 até 2007

18º. Pároco:  Pe. Élcio José Gutervil  - 2008 até 2016

19º. Pároco: Pe. Jorge Casimirski - 2016 até o presente



ORAÇÃO


    Oh! Querida e Gloriosa Padroeira, Nossa Senhora da Luz, a todos nós que fomos, pela divina providência colocados sob a Vossa especial proteção, e que com isso nos alegramos e nos honramos, dignai-vos conceder uma centelha de Vossa Luz, que nos ilumine a mente e nos abrase o coração, a fim de sempre mais e melhor, conhecermos e amarmos a Jesus, Vosso Divino Filho.


Amém!

O Padroeiro
O Padroeiro
NOSSA SENHORA DA LUZ ( Frei Augusto Luiz Gabriel, OFM)

Celebrada no dia 2 de fevereiro, data em que a Igreja faz memória da Festa Litúrgica da Apresentação do Senhor, Nossa Senhora das Candeias, da Luz, da Purificação ou da Candelária – todos estes títulos designam a mesma Nossa Senhora -, tem sua história e vínculo a partir da purificação de Nossa Senhora e Apresentação do Menino Jesus no Templo, quarenta dias após o seu nascimento. Além disso, outras narrações relatam suas origens, como a lenda das Ilhas das Canárias e também a partir da devoção popular.
Segundo a tradição mosaica, após o parto, as parturientes eram consideradas impuras e deveriam ir ao Templo, quarenta dias após o nascimento de seus filhos, para se apresentarem ao Sumo-Sacerdote e oferecer seus sacrifícios. Sendo assim, após o nascimento de Jesus, Maria e José se dirigiram até Simeão para cumprir este preceito. Assim nasceu a Festa da Apresentação de Jesus no Templo e também a Festa da Purificação de Nossa Senhora.
Sobre a origem e aparição de Nossa Senhora das Candeias, encontram-se no livro “Maria, uma Mãe, muitos títulos”, do Pe. José Battisti, palotino, relatos que explicam a aparição de Nossa Senhora nas Ilhas das Canárias, Espanha. Lê-se que dois pastores guardavam costumeiramente seus animais perto de uma caverna de Tenerife, Ilhas Canárias, e em um determinado dia observaram que os animais se recusaram a entrar no local. Os pastores, então, aproximaram-se da gruta e descobriram a imagem de uma Senhora com um filho no colo. O fato se espalhou pela região e o povo foi averiguar para validar o fato. Chegando lá, encontraram numerosas candeias sustentadas por seres invisíveis que, com seus cânticos, louvavam a Deus e à Virgem Maria. Por isso, Maria ganhou o título de Candelária, por causa das velas que iluminavam a imagem. Já o nome “candeias” faz referência à chama da vela que, simbolicamente, apresenta Jesus Cristo ao mundo. É por isso que as imagens devocionais ilustram Maria segurando o Menino Jesus ao colo.
Pela devoção popular, nos primórdios do cristianismo, a festividade de Nossa Senhora era denominada “das Candeias” porque comemorava-se o trajeto de Maria até o Templo, com uma procissão, na qual os devotos portavam velas acesas durante o trajeto. A procissão dos luzeiros é proveniente de um antigo costume dos romanos. Como a festividade era celebrada sempre no dia 2 de fevereiro, data em que os cristãos comemoravam a Purificação de Maria, o Papa Gelásio I (492-496) instituiu um solene cortejo noturno em homenagem à Mãe Santíssima, convidando o povo a participar com círios e velas acesas e cantar hinos em louvor a Nossa Senhora. Esta celebração propagou-se por toda a Igreja Romana e, em 542, Justiniano I instituiu-a no Império do Oriente após ter cessado uma peste. Mas as festas religiosas começaram a ser celebradas com procissão de velas a partir do século X, um pouco mais tarde, mas que fazem memória e celebram a fé em Maria e no seu Filho Jesus.
A partir destes fatos, pode-se afirmar teologicamente que Jesus é Aquele cuja luz clarifica todos os povos e todas as gentes. Então, Nossa Senhora das Candeias, pode ser também a Nossa Senhora da Luz, pois ambas apresentam Jesus, a Luz das nações. Nossa Senhora é portadora da luz que é Jesus. Todos os cristãos são convidados a receber essa luz e multiplicar as ‘grandes maravilhas’ operadas em Maria pelo Senhor. Assim como Jesus foi luz de todas as nações, todos os discípulos seus, no cotidiano da vida podem ser também a luz do Senhor.
 
 
Dúvidas, críticas ou sugestões?
Nome
 
E-mail
Telefone
 
Mensagem
 
 

Copyright © Diocese de Ponta Grossa 2024. Direitos reservados.
Navegando você está de acordo com a nossa política de privacidade.

Desenvolvido com amor Agência Arcanjo