Mosteiro Portaceli - Ordem das Monjas da Imaculada Conceição
Mosteiro Portaceli - Ordem das Monjas da Imaculada Conceição
Mosteiro Portaceli - Ordem das Monjas  da Imaculada Conceição
A Ordem da Imaculada Conceição é uma Ordem puramente contemplativa. Seduzidas pelo amor eterno de Deus, vive o mistério de Cristo desde a fé, na oração constante, na disponibilidade e ocultamento silencioso. É um permanecer silencioso diante dos fatos e palavras de Jesus, um meditar a vida e palavras de Jesus no coração, uma confiança em que Jesus vai obrar em mim o que Deus desejar em cada momento.
A ordem da Imaculada Conceição é totalmente contemplativa. Seduzida pelo amor eterno de Deus, vive o mistério de Cristo a partir da fé, da oração constante, da disponibilidade e do ocultamente silencioso. (CG.ART.4)
A vida nesta Ordem, a exemplo da Santa Beatriz, é uma oblação pessoal (R.2) consagrada ao serviço do Altíssimo e da Bem-Aventura da Virgem Maria no mistério se sua Conceição Imaculada (IU). CG.Art.5
O Mosteiro Portaceli em Ponta Grossa- Paraná- Brasil, foi fundado em 25 de dezembro de 1965; tendo como fundadora e primeira Abadessa, Madre Maria Beatriz do Espírito Santo de saudosa memória e como Vigária Sor Maria Stela da Imaculada Conceição. Depois vieram também as irmãs: Sor Maria do Carmo da Assunção, Sor Maria Faustina de São José, Sor Maria Regina do Ssmo. Sacramento, e Sor Maria Beatriz de São Rafael.
Esta fundação saiu do Mosteiro da Luz em São Paulo, de onde viriam mais tarde, mais duas para uma nova fundação.
No dia 25 de dezembro, dia de Natal, Dom Geraldo Pellanda, então Bispo de Ponta Grossa, celebrou a primeira Missa às 17 horas, deixando o Santíssimo no Sacrário, manifestando satisfação em dar às irmãs, Jesus Sacramentado como presente de Natal. Assim ficou inaugurado o novo Mosteiro.
Com o título " Portaceli" que significa "Porta do céu ", as primeiras Irmãs se esforçaram por viver o melhor possível o carisma para a honra da Imaculada Conceição, a glória de Deus e o maior bem da Igreja e do mundo inteiro.

HORÁRIOS DE MISSAS
De segunda a sexta às 7 horas da manhã
Aos domingos às 8 horas da manhã

Madre Beatriz do Espírito Santo e o sonho de um Mosteiro
Madre Maria Beatriz do Espírito Santo voltou aos braços do Pai no último dia 15, depois de 54 anos de vida religiosa voltados a Ponta Grossa e ao Mosteiro da Ordem da Imaculada Conceição, o Mosteiro Portaceli, que fundou em 1965, ao lado de outras cinco consagradas vindas do Mosteiro da Luz, em São Paulo. Das fundadoras, resta viva somente, agora, irmã Beatriz de São Rafael. A religiosa Maria Beatriz do Espírito nasceu Edwiges Caleffi, em 1922, em Jundiaí (SP), e ingressou no Mosteiro da Luz em março de 1942. Seu corpo está sepultado no Cemitério Parque Jardim Paraíso, em Uvaranas. A missa de corpo presente foi celebrada pelo bispo dom Sergio Arthur Braschi.
Neta de italianos, Edwiges ficou órfã de pai aos dois anos e, aos quatro, perdeu a mãe. Seu único irmão, José, faleceu em 2009. Criada por familiares, a jovem sentiu-se chamada à vida religiosa e escolheu a maneira contemplativa, aos 20 anos de idade. A Ordem da Imaculada Conceição pertence a Regra Concepcionista, criada há 508 anos por Santa Beatriz. Como fundadora do Mosteiro Portaceli, foi também sua primeira abadessa, cargo que exerceu por quase 40 anos. Junto com a missão religiosa, madre Maria Beatriz escreveu quatro livros: Da Corte ao Claustro, Maria Oliva Maria de Jesus, Frei Galvão, o Bandeirante de Cristo e Frei Galvão, Fiel Servo de Deus. Também elaborou dez novenas e vias-sacras, sob a forma de devocionários, e traduziu da obra da irmã Maria de Jesus de Ágreda, Mística Cidade de Deus. A tradução, feita em quatro volumes, se estendeu por 25 anos e foi oferecida pela madre a Nossa Senhora pelo êxito da fundação do Mosteiro Portaceli.
Fernando Caleffi, sobrinho de madre Maria Beatriz, se dizia orgulhoso e grato pela vida da tia. Orgulho de ser seu sobrinho, filho de seu irmão, neto de seus pais, de compartilhar suas raízes. Gratidão pelo trabalho que engradeceu a Humanidade, pela lição de vida..., comentou emocionado.
Mosteiro
Atualmente, vivem no mosteiro seis religiosas: madre Maria Leoni, irmãs Maria Beatriz, Maria Teresinha, Maria Inez, Elizete Maria e Lucilene Maria. A rotina diária inicia às 4h30 e prossegue até às 21 horas, com oração, missa, leitura, meditação, canto, adoração, alternado por todo o trabalho doméstico, cultivo de flores para o altar, confecção de hábitos e algumas peças para a capela, produção de hóstias, além de elaboração de terços e cartões em papel vegetal, trabalhos manuais para os quais as irmãs se dedicam por duas horas pela manhã e duas horas à tarde.
Nos meus 43 anos de convívio com madre Beatriz posso dizer que ela sempre foi muito zelosa pela autenticidade da vida religiosa. Jamais se deixou levar pelo espírito mundano. Sempre defendeu com firmeza o carisma da Ordem Imaculada Conceição; trabalhou muito neste sentido, traduzindo livros e outros escritos em espanhol que se referiam a esse tema. Agora, nosso objetivo é levar em frente esse trabalho de tantos anos, que madre Beatriz se esforçou e desejou realizar... comenta madre Maria Leoni (Fonte Arquivo Pessoal, Site DIOCESE PONTA GROSSA)

Breve Biografia
Santa Beatriz da Silva nasceu em Campo Maior - Portugal, segundo a tradição, por volta dos anos 1433; seus pais muito cristãos foram os cavaleiros Dom Ruy Gomes da Silva e Dona Izabel de Menezes. Do casamento Silva e Menezes nasceram onze filhos, cinco meninos e seis meninas. Todos eles receberam uma educação muito cristã na casa dos pais. A sua mãe exemplar deleitou-se com bondade pacífica da sua pequena Beatriz detectando nela os primeiros balbucios da graça da eleição que a assistia. E Deus não improvisa os seus escolhidos, mas antes, desde tenra idade, prepara-os para a missão a que os destina. Por isso encheu de bênçãos a alma da nossa futura Fundadora, inclinando o seu coração desde a mais tenra idade à oração e a devoção e fazendo enraizar nela um amor ardente a Imaculada.
Em 1447, a princesa Izabel de Portugal, prima de Santa Beatriz, casou-se com Dom João II de Castela, viúvo desde 1444 de Dona Maria Aragão. princesa que admirava a personalidade de Santa Beatriz, quis enriquecer o seu dote real com tão precioso tesouro e trouxe-a consigo para Castela como dama de honra. Aquela suave brisa de paz que Isabel encontrou na sua bela dama e que acalmou o seu coração atormentado e oprimido pelas incomodidades do palácio, durou cerca de quatro anos. A beleza singular de Santa Beatriz despertou terríveis ciúmes e rivalidades entre os grandes da corte. Mas ela se apaixonou por outa beleza maior que a humana, rejeitou tais pretensões.
Tudo isso despertou na Rainha uma inveja odiosa e ouvindo as acusações, comovida com os acontecimentos, esqueceu a virtude da prima e o amor que teve por ela; e dura e vingativa como era, decidiu acabar com tanta intriga no palácio, tirando sua rival do meio. Um dia quando a paixão dominava o coração d Rainha, sem levar em conta a inconsciência juvenil de sua inocente dama, com o coração cego pelo ciúme, ela se aproximou, fria e desdenhosamente da casta donzela até que ela foi colocada em um cofre com a tentativa de tira-lhe a vida. A Rainha havia cerrado o cofre e o seu coração às suplicas de sua dama e ido embora satisfeita por ser ter libertado de seu pesadelo.
Num momento, Santa Beatriz passou de uma situação de esplendor para um estado mais deprimente. Quem a libertaria de tal situação? Maria, sua Mãe Imaculada, entrou em sua mente como um farol de luz e uma tábua de salvação! A Bula de canonização assegura-nos que "Beatriz foi consolada com a ajuda sobrenatural da Mãe de Deus".
Deixando a corte, Beatriz partiu para a cidade de Toledo - Espanha. Entre os muitos conventos que ali existiam escolheu o de São Domingos de Silos de Religiosas cistercienses, ramo beneditino. Aí permaneceu por mais de 30 anos até o dia em iniciaria a Ordem pedida por Nossa Senhora. Tudo começou quando Santa Beatriz da Silva por ordem da Virgem Imaculada, iniciou a Ordem Concepcionista, no ano de 1484 e conseguiu sua aprovação cinco anos mais tarde, em 30 de abril de 1489. O mosteiro já estava fundado e tudo preparado para entregar o hábito e ela e às monjas que ela havia instruído, quando Nosso Senhor quis chama-la. Faleceu no dia 9 de agosto de 1492, com 66 anos de idade. Na hora da morte, foram vistas duas coisas maravilhosas. Uma foi que quando lhe levantaram o véu para administra-lhe a unção foi tal esplendor de se rosto que todas ficaram admirados. A segunda foi que em sua fronte viram uma estrela, que lá ficou até que ela expirou, e que emitia uma luz e um esplendor igual à luz quanto mais brilha. Por esse motivo é representada em suas imagens, com uma estrela na fronte. Faleceu com fama de santidade. Em 1511, o Papa Júlio II atribuiu à Ordem nascente Regra Própria. Beatriz foi beatificada pelo Papa Pio XI em 26 de julho de 1926 e solenemente canonizada em 3 de outubro de 1976 pelo Papa Paulo VI. Sua festa é celebrada no dia 17 de agosto.

Carisma

A beleza de Maria Imaculada revela a todos nós a beleza e a harmonia da nossa criação. Lembra-nos as nossas raízes sagradas, de onde viemos e para ode iremos, em direção a Deus. Ela também nos dá a certeza de que a redenção de Cristo, que a preservou do pecado original, torna-se em nós uma força santificadora que nos purifica dele nos preserva de cair em outros pecados. Esta é a nossa firme convicção. A espiritualidade da Ordem da Imaculada Conceição fundamenta-se na vida de sua Mãe Fundadora. Santa Beatriz da Silva, imolada e consagrada ao amor, imitação e veneração de Maria Imaculada ( CG. Art.6).

Local

Av. General Carlos Cavalcante, 7.333, ao lado da entrada do Cemitério Jardim Paraíso- Ponta Grossa - PR. Tel (42) 32263936 ( só atende depois das 15h às 17h)
 

Copyright © Diocese de Ponta Grossa 2024. Direitos reservados.
Navegando você está de acordo com a nossa política de privacidade.

Desenvolvido com amor Agência Arcanjo